{1001 Noites} Segunda Noite: Em Busca da Terra do Nunca

by - 15.5.16

"Você conhece aquele lugar entre dormir e acordar, o lugar onde você ainda pode lembrar de sonhar? É onde eu sempre te amarei. É onde eu estarei esperando."

Terceira Noite 

Em Busca da Terra do Nunca


Dizem que em algumas noites, nos inícios de primavera, ele sai de seu esconderijo na Terra do Nunca, procurando por alguma janela aberta. Sabe como é, todas as mães são muito cuidadosas, mas, às vezes, estão tão cansadas que acabam cometendo alguns deslizes, deixar a janela aberta é o primeiro deles. Por que, no final das contas, qual o perigo de deixar a janela aberta só um pouquinho? Nenhuma mãe é culpada e nosso menino que nunca cresce se aproveita disso porque precisa de ajuda para as faxinas de primavera. Antes ele tinha uma garota que o ajudava. Qual era mesmo o nome dela? Jane? Margaret? Wendy? Ele não conseguia se lembrar, já tinha se passado tanto tempo. Há tantas aventuras passadas. Esquecia-se de quase tudo.

Ele tinha mudado muito desde a última vez em que fora visto, com suas roupas verdes feitas com esqueletos de folhas, todos os seus dentinhos de leite e sua primeira risada. Não que ele houvesse crescido. Nunca. Jamais. Nem um centímetro. Mas suas roupas não eram mais de folhas. Ele usava uma roupa de pirata, com certeza de algum capitão que teve seu navio saqueado, mas ele se esquecia com frequência como as tinha conseguido. Ele já não era tão arrogante, mas no lugar de seu coração de menino, havia mais maldade e crueldade do que amor e bondade. Algo o havia corrompido.
A Terra do Nunca não era mais a mesma. Mas ela não estava corrompida como o menino, era como se todo e qualquer personagem criado no universo fosse parar lá. Cada personagem fictício criado uma hora ou outra ia para a Terra do Nunca, o que a tornava bem povoada. Por personagens com todas as personalidades, idades e características das mais variadas.

Alice, que foi criada por Lewis Carroll, vive atrás de um coelho branco que está sempre atrasado. Não entendo porque e para que esse coelho está sempre atrasado, afinal, que compromissos um coelho branco pode ter?! E Harry, da J.K. vive com seus óculos quebrados, uma varinha e vassoura, ele tem uma cicatriz estranha na testa. Hercule Poirot e Sherlock Holmes são dois adultos legais, são detetives, os melhores! Estão sempre conversando sobre os casos que resolveram. É incrível.
Os cavaleiros, de todos os séculos, estão sempre juntos. O grande Rei Arthur, Sir Lancelot, Sir Ector, Sir Percival e todos os Cavaleiros da Távola Redonda. Existe um cavaleiro, que é apaixonado por uma princesa chamada Isolda. Pobre, belo e nobre cavaleiro afundado em melancolia. Seu nome é Tristão.
Existem muitos magos, bruxos e bruxas na Terra do Nunca agora. Os mais poderosos são Merlin e Morgana Le Fay.

Uma terra com assassinos, índios, tartarugas adolescente mutantes ninjas, princesas de terras que não se encontram em mapas comuns. Elfos, gnomos, fadas, dragões e todas as criaturas mágicas já vistas. Peter Pan tem tantas aventuras agora que sempre que vive algo novo esquece tudo pelo que já passou.

Mas no momento ele estava entrando na janela de uma pequena garota ruiva, bem longe da Terra do Nunca.
Assim que Peter pulou na cama da garota, ela acordou com um pulo e agarrou sua gata de estimação, Madame.

- Quem é você, menino? - a garotinha de nariz arrebitado perguntou franzindo as sobrancelhas e apertando bem os olhos, para tentar reconhecer o rosto que parecia familiar.
Peter cruzou os braços sobre o peito e sorriu, levantando apenas um canto dos lábios.
Levantando uma sobrancelha a verdade a atingiu como um soco no estômago.
- Peter?! - ela perguntou colocando a mão nos lábios.
- Preciso de ajuda para a faxina de primavera.
- Mas não é primavera e eu tenho só seis anos! Não sei voar.
- É só pensar em coisas lindas e belas e você vai voar como se tivesse asas, direto para a Terra do Nunca!
- Madame pode ir comigo?
- Madame?!
- Minha gata.
Peter olhou para a gata branca de grandes olhos azuis e assentiu.
- Permita-me que me apresente, garota dos cabelos de fogo, Peter Pan. - disse dobrando um pouco os joelhos e uma reverência falsa. Pan nunca se curva.
- Sou Sarah.
- Vamos, Sarah, para onde nascem os sonhos, e o tempo nunca é planejado. Basta pensar em coisas alegres, e seu coração vai voar nas asas, para sempre, na Never Never Land!
Sarah aprendeu a voar muito rápido, ela havia nascido para voar.

Depois de seguir a segunda estrela à direita, até o amanhecer, como todos que querem chegar a Terra do Nunca tem que fazer, eles bateram de frente com um grande navio pirata, os dois caíram dentro do navio, nas botas do capitão. Ou melhor: capitã e atrás das botas, que sorte!
Aquele era o antigo navio do temido pirata Barba Negra, do qual Peter não se lembrava, atualmente o navio era posse de Alison DiLaurentis.
Pan conhecia a fama de Alison e levou Sarah para fora do navio antes que Alison tivesse tempo de dizer algo. Era melhor evitar.

Longe dali, na floresta, encontraram-se com Nico di Angelo, Peter não conseguia entender aquele garoto, tão poderoso, mas tão estranho. Ele dizia ser filho do Deus Hades. O que não fazia sentido nenhum para Peter, Deuses não podiam ter filhos, podiam?! Não deveriam. Deveriam?! Oras, tudo na Terra do Nunca estava tão estranho.

- Tudo aqui está tão estranho Peter - disse Sarah - essa é mesmo a Terra do Nunca?
- My Lady, não me lembro o que houve aqui, nem se seguimos o caminho certo. - ele respondeu pensativo. - Ando tão esquecido, garota. Mas se acha que estamos no lugar errado, então vamos voar, viajar em busca da Terra da Nunca. 
Os dois riram e se prepararam para voar, aquela seria uma grande aventura!



O texto foi completamente escrito por mim, copias parciais ou completas NÃO são permitidas! Plágio é crime.
Gostou e quer que mais pessoas o leiam? Mande o link para seus amigos ou o compartilhe em suas redes sociais. :)



Até logo! 
Fale comigo: Twitter | Facebook | Tumblr | Skoob | Mande sua pergunta :)

You May Also Like

0 comentários